domingo, 24 de fevereiro de 2013

A letter to my beloved



Você pintou o mundo a sua maneira
Tão doce  e delicada
Você podia se quebrar facilmente
Mas assim preferia permanecer

Eu pintei o mundo a minha maneira
Tão frio e obscuro
Podia sentir a amargura em meu beijo
Mas assim preferia ver a realidade deste mundo

Você decorou meu mundo com tolices de amor
E a minha realidade se modificou
De uma maneira a me tornar tão patético
Mas você parecia ser a unica a me ver por completo

Então eu fecho meus olhos, mas ainda não é uma despedida
Mentindo para mim mesmo nessa sua mente iludida
Onde a sujeira humana não é permitida
E as rosas estão sempre bem vivas

Eu lhe confesso meus tormentos
mas você não parece temer
Eu lhe entrego a taça do doce vinho
que poderia lhe trazer a graça de morrer

Você poderia partir facilmente em meus braços
Mas meu anceio pelo seu eu me consome
E seus desejos se espadem alem dos meus.
Deixe me lhe consumir e a ti me unir

O mundo pode ser observado de varias formas
mas todos temos que continuar com a sinfonia
Cubra me com suas tolices e eu com minhas verdades
Então poderemos ser apenas um

Me de sua mão, vamos sentir, vamos ver, vamos viver
Não é apenas nosso e muito menos uma fabula
Mas vamos construir a nossa historia
Que ira repercutir para um possível  sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário